quinta-feira, 26 de junho de 2008

Sob os olhos da alma


Sob os olhos da alma
José Antonio Ferreira da Silva (autor)
Dissertações - 96 págs. 13x18 cm
Livro - Espírita -
R$ 15,00 + Correios
grupoallankardec@hotmail.com

O livro
Da genialidade de Allan Kardec, ao imenso amor que o autor evidencia à Doutrina dos Espíritos, essa é uma viagem profundamente prazerosa, e esclarecedora. Com muita propriedade, e simplicidade, discorre sobre pontos pertinentes à crença na imortalidade da alma.
O Livro “SOB OS OLHOS DA ALMA”, é uma coletânea de artigos do autor publicados na imprensa Espírita. Fico pensando quantos de nós, tendo agora a oportunidade de os ler em forma de livro, quanto nos beneficiaremos e aprenderemos a respeito da Doutrina Espírita, e, conseqüentemente, a respeito de nós mesmos; pois que, de forma despretensiosa, o autor nos faz ver que o primeiro passo é nosso; que nos relacionamentos é necessário olhar-mo-nos com atenção; evitarmos a fórmula simplista e ineficaz de responsabilizar o outro pelos descaminhos em relação ao nosso ritmo no caminhar; pois que a jornada é compromisso intransferível. O outro não pode ser a desculpa para não avançarmos.
São iniciativas como estas de José Antonio, que nos dão a certeza de que o caminho pode ser menos árduo, se cada um aprender a cuidar de si. O caminho não é o outro; sou eu, é você. Basta caminhar suave e conscientemente em busca de si mesmo. Necessário aprender a olhar e sentir “sob OS OLHOS DA ALMA”... O ESPÍRITO DAS COISAS.
AVANIZE G. MENDES
Presidente do Lar Espírita Maria de Nazaré

O autor
Conhecedor da obra de Kardec, divulga-a por
todos os meios ao seu alcance; colabora com diversas
revistas, mantém um programa semanal de rádio e, fiel
ao ideal abraçado, profere palestras em várias cidades
da região.
Cada vez mais convicto, não descuida um minuto
do ideal que abraçou como verdadeira missão, e
faz questão de buscar sempre novos meios para
ampliar e aperfeiçoar o seu trabalho de divulgação do
espiritismo.
Dizem que o caráter sofre as influências do meio a
que é submetido. Com José Antônio é diferente. O seu
caráter tem influenciado o meio em que vive.

AÉCIO PAULO PEREIRA DE MIRANDA

Onde comprar:
grupoallankardec@hotmail.com

terça-feira, 17 de junho de 2008

Lançamento do Livro


Palestra:

Sob os olhos da alma

Com: José Antonio Ferreira da Silva
Local: Câmara Municipal
Data: Sábado 05 de Julho de 2008
Horário: 19:30 as 21:30 h
Entrada Franca

O livro


Da genialidade de Allan Kardec, ao imenso amor que o autor evidencia à Doutrina dos Espíritos, essa é uma viagem profundamente prazerosa, e esclarecedora. Com muita propriedade, e simplicidade, discorre sobre pontos pertinentes à crença na imortalidade da alma.
O Livro “SOB OS OLHOS DA ALMA”, é uma coletânea de artigos do autor publicados na imprensa Espírita. Fico pensando quantos de nós, tendo agora a oportunidade de os ler em forma de livro, quanto nos beneficiaremos e aprenderemos a respeito da Doutrina Espírita, e, conseqüentemente, a respeito de nós mesmos; pois que, de forma despretensiosa, o autor nos faz ver que o primeiro passo é nosso; que nos relacionamentos é necessário olhar-mo-nos com atenção; evitarmos a fórmula simplista e ineficaz de responsabilizar o outro pelos descaminhos em relação ao nosso ritmo no caminhar; pois que a jornada é compromisso intransferível. O outro não pode ser a desculpa para não avançarmos.
São iniciativas como estas de José Antonio, que nos dão a certeza de que o caminho pode ser menos árduo, se cada um aprender a cuidar de si. O caminho não é o outro; sou eu, é você. Basta caminhar suave e conscientemente em busca de si mesmo. Necessário aprender a olhar e sentir “sob OS OLHOS DA ALMA”... O ESPÍRITO DAS COISAS.

AVANIZE G. MENDES
Presidente do Lar Espírita Maria de Nazaré

Quem é José Antonio Ferreira da Silva


Conhecedor da obra de Kardec, divulga-a por
todos os meios ao seu alcance; colabora com diversas
revistas, mantém um programa semanal de rádio e, fiel
ao ideal abraçado, profere palestras em várias cidades
da região.
Cada vez mais convicto, não descuida um minuto
do ideal que abraçou como verdadeira missão, e
faz questão de buscar sempre novos meios para
ampliar e aperfeiçoar o seu trabalho de divulgação do
espiritismo.
Dizem que o caráter sofre as influências do meio a
que é submetido. Com José Antônio é diferente. O seu
caráter tem influenciado o meio em que vive.

Aécio Paulo Pereira de Miranda

domingo, 8 de junho de 2008

Fica proibido ( Pablo Neruda )



"Fica proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer,
Ter medo das tuas recordações
Fica proibido não sorrir ante os problemas,
Não lutar pelo que queres,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar em realidade teus sonhos
Fica proibido não demonstrar o teu amor,
Fazer com que alguém pague pelas tuas dúvidas e pelo teu mau humor
Fica proibido deixar os teus amigos,
Não tentar compreender aquilo que viveram juntos,
Chamá-los somente quando precisa deles
Fica proibido não seres tu perante todos,
Fingir para as pessoas que não te importas,
Esquecer todos os que te querem
Fica proibido não fazeres as coisas para ti mesmo,
Não fazeres o teu destino,
Ter medo da vida e dos teus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse o último."

sábado, 7 de junho de 2008

ROTERIZANDO O EXISTIR


Quando chegamos a esse planeta, não nos recordamos dos propósitos firmados no plano espiritual. Contudo, nos arquivos do inconsciente temos todas as diretrizes, para seguir com segurança e firmeza rumo ao nosso aprimoramento. Se não vejamos:

Quando nascemos recebemos um veículo novo e potente para nos conduzir na escola da vida, onde fomos matriculados com o propósito de sermos promovidos na areia evolutiva, cabendo-nos direcionar esse veículo por estradas seguras ou tortuosas, provocar amor ou dor, é escolha, amar esse corpo e respeitar-lo é de fundamental importância, ele ficará conosco até o nosso último respirar.

Todos que cruzarem nossa estrada, são professores ou alunos a nossa disposição, tornemo-nos receptivos e atentos para trabalhar a nossa sensibilidade e não negligenciarmos a oportunidade de aprender e ensinar, tudo no universo é solidário, e conspira a nosso favor.

Fiquemos atentos ao nosso caminhar, conscientes que nessa trilha não há erros, apenas lições.

Cada lição será exaustivamente repetida, até que seja apreendida, só depende de nós, pois, que a vida tem o ritmo que lhe impomos.

Se estamos no comando e nele permanecermos não há como fazer doer a vida, pois ela só dói quando precisa nos fazer voltar para os trilhos do nosso existir, construtivamente nos fornecendo lições duras, se somos renitentes no fazer difícil o caminhar nosso de cada dia.

Quando o ensinamento for absorvido pela nossa compreensão e ficar impresso em nosso íntimo como tatuagem, seremos promovidos a patamares que nos trarão novos vôos e grandes lições.

O caminho da aprendizagem é infinitamente extenso, o tesouro é de infinitas possibilidades, cabendo a cada um de nós, descobrir o mapa e focar os pontos que queremos atingir em cada viagem existencial, na benção reencarnatória, o aqui, o agora é decisivo para promoção ou reprovação, o que faremos e o que escolheremos, pode ser linda aquarela ou profundo vazio, tudo ainda por fazer, e a sensação de inutilidade, provoca dor que podemos evitar, se atendermos o chamado inteligente das leis que nos convidam à transformação.

Os outros não farão a parte que nos cabe, o outro não pode ser desculpa para não avançar, o outro, não vai diminuir, ou transformar o seu existir, esse é um trabalho solitário, é uma construção onde você será operário e engenheiro no contexto pessoal e intransferível de reforma íntima, e crescimento moral.

O outro será parceiro, mas apenas quando você estiver pleno, e transbordar, o outro será o rio no qual você poderá desaguar, mas somente para somar, nunca para subtrair ou tolher o direito do outro ser e está como lhe aprover, mudanças, só em nós realizamos, só em nós é possível transformar e edificar o homem novo.

Estamos no comando. Sigamos atentamente, e façamos a diferença na computação final de cada existência. Roteirizar, e seguir a direção traçada, trilhar o caminho elegido como prioritário para o nosso crescimento, aprendendo a ser feliz. Respeitando a rota, chegaremos ao porto seguro de nós mesmos.

Por AVANIZE G. MENDES

domingo, 1 de junho de 2008

Vivendo e Desiludindo-se



Por séculos aprendemos que amar ao próximo era esquecer de si mesmo, era menosprezar-se, negar-se, anular-se, quiseram nos fazer acreditar que, nada valíamos, que o outro era tudo e nós nada éramos, contudo , como nada é para sempre, a impermanência é nossa grande aliada e a vida é parceira, não inimiga.
O amor de Deus veio em nosso auxílio, com o advento da doutrina Espírita, devolvendo ao homem sua dignidade e individualidade, e sua origem divina realçada como ponto máximo da criação; não mais viver em função do outro, mas em função de si mesmo, empenhando-se incansavelmente em melhor estar, para melhor ser, quando o outro a nossa porta chegar, nos encontrar plenos, para plenamente agir, pois natural ser bom, natural transbordar para desaguar no outro quando plenos.
Impossível dar o que não se tem, somos canteiros cheios de sementes em latência. Como todo jardim precisa ser cuidado, assim é conosco, precisamos ser generosos, atenciosos, educar a capacidade de nos ouvir no nosso mais íntimo e com carinho e amor. O amor que nos deu origem espera de nós o amor em ação que transforma, e foca o caminho do meio, para melhor ampliar os horizontes do existir, e, finalmente, compreendendo a nossa essência divina e o propósito de perfeição ao qual estamos fadados, vamos contando a nossa história, e fazendo história rumo a angelitude, diminuindo a distância entre a ilusão e nossa realidade espiritual, substituindo as falsas informações que nos mantiveram na retaguarda da evolução, e assumindo o importante papel que nos cabe no doce saber do existir eternamente, e eternamente evoluir e ser.


Avanize G. Mendes

Pra que serve o seu Deus?

Esta pergunta parece um absurdo, pra você?

Você pensa que Deus não te serve?

Tudo serve ao ser humano, ou pode servir. Tudo.

Deus pode servir pra muita coisa: pode servir pra você se sentir inferior ou superior, pode servir pra você criticar e falar dos outros, pode servir pra você se agarrar na hora do desespero, pode servir pra você conversar dentro de você, pode servir pra você culpar de tudo que não vai bem na sua vida, pra você se cobrar, pode servir pra tanta coisa!...

Pra que serve o seu Deus?

Você pensa que alguém ser religioso ou religiosa é um atestado de elevação? Você pensa que, por crer num Deus, você é melhor que quem não crê?

Crer em Deus significa pouca coisa, o importante é ver pra que você usa esse Deus.

Tem gente que usa Deus pra se segurar. Pra não fazer aquilo que considera errado ou pecado.

Tem gente que usa Deus pra se apoiar, pra justificar suas ações.

Tem gente que usa Deus pra abandonar a responsabilidade por si, jogando o destino na mão dele.

Tem gente que usa Deus pra dividir suas dúvidas, para tentar entender a vida, pra buscar lucidez nas decisões.

Eu não estou falando do Criador da Vida. Estou falando da sua idéia de Deus, da imagem que você criou e da função que você lhe deu.

Porque o ser humano é um sistema impressionante de transformação de pensamentos, cujo funcionamento está condicionado pelo seu amor ou seu egoísmo, pela crença no Bem ou no mal e pela sua compreensão particular das leis que regem a vida.

E pra você se ligar ao Deus verdadeiro, você precisa se desprender da sua visão particular, da sua idéia de Deus. Largar mão daquilo que você acha que Deus gosta ou não gosta.

Deus é um Amor profundo e uma Compreensão infinita.

Deus opera na construção e na destruição.

Deus te sustenta mas não te segura, te ensina mas não te impede.

Deus se abre para as inúmeras possibilidades do futuro e abraça todas com carinho.

Deus pode ouvir seu coração, além das suas palavras.

Deus te põe na vida e quer que você viva - só isso!

Calunga/Rita Foelker Texto do Calunga canalizado por Rita Foelker



Calunga canalizado por Luiz Gasparetto